Blog

Categorias

Blog

Categorias

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Tecnologias nativas – como as habilidades digitais e novas gerações podem movimentar mercados de maneira disruptiva

Os olhares desta nova década estão voltados às chamadas competências ou habilidades digitais. Afinal, elas tornam realidade a Era da Transformação Digital para as empresas, por meio da interface homem-máquina. Porém, inovação tecnológica requer investimento não apenas em sistemas avançados, mas em pessoas habilitadas e inseridas no contexto das profissões do futuro.

Vivemos uma época em que o mercado de trabalho se depara com muitas gerações se relacionando entre si, ou seja, gerações X (pessoas de 40 a 60 anos), millennial ou Y (pessoas de 25 a 40 anos) e Z (pessoas com menos de 25 anos) ao mesmo tempo. Esse movimento no mercado é agregador, já que impulsiona a diversidade e a adição de mais pontos de vistas e perspectivas novas.

Em pesquisa feita no início de 2020 pela Comscore, com o objetivo de mapear as diferenças dos hábitos de consumo entre estas gerações, foi detectada que a troca do desktop para o mobile na hora de consumir notícias, por exemplo, é um dos indícios de mudança comportamental da década. Essa migração já é superior a 50% para o consumo da maioria dos diferentes segmentos de notícias (esportes, entretenimento, política etc).

E nas empresas essa mudança de comportamento já se tornou latente. Reuniões via vídeo-chamadas, arquivos em redes, relatórios online, entres outros, fazem parte do dia a dia dos funcionários. Com o ambiente virtual criado, não é a toa que o home office tenha sido adotado no mundo atual. No caso das novas gerações, flexibilização de modelos de trabalho, como o home office, é um fator de peso na obtenção de novos talentos, em especial, os que dominam as tão desejadas habilidades digitais.

De fato, parte da população do planeta já é um nativo digital, ou seja, pessoas nascidas após 1980, cujo desenvolvimento biológico e social se deu em contato direto com a tecnologia. E essa peculiaridade histórica impacta diretamente nos negócios.

A super valorização das habilidades digitais no mercado de trabalho

A partir de 2020, um currículo desejável será aquele que vá além da formação acadêmica tradicional, com o domínio das habilidades digitais, um pré-requisito para prósperas carreiras. O LinkedIn, rede social profissional referência, em sua pesquisa “What skills does the workforce value most?” listou as habilidades que estão em alta no mercado de trabalho e que certamente vão movimentar diversos segmentos de maneira disruptiva nos próximos dez anos.

A pesquisa prova que nosso mundo a partir de agora será orientado por dados e a necessidade da análise deles, por pessoas preparadas a interpretá-los e executar ações com base nestas informações de maneira estratégica, será sinônimo de sobrevivência e continuidade dos negócios.

Sendo assim, conheça as cinco principais competências deste ranking:

  • Blockchain – armazenamento, validação, autorização e movimento dos dados pela internet, atuando no envio seguro de qualquer ativo digital;
  • Computação em nuvem: conhecida como cloud computing, comporta todas as inovações tecnológicas da Era Digital por meio do suporte de arquitetura, design e entrega de sistemas;
  • Raciocínio analítico: empresas priorizamtalentos que consigam descobrir insights conduzindo às melhores decisões, com um olhar observador e assertivo, além de conhecimentos matemáticos;
  • Inteligência artificial (IA): o domínio e desenvolvimento de IA aumenta a capacidade de força do trabalho humano e, se aliados ao aprendizado de máquina e ao processamento de linguagem natural, são potencializados, gerando mais produtos e serviços relevantes, personalizados e inovadores;
  • UX Design: a busca pela atenção do usuário e cliente, com tanta competitividade de mercado que abre um leque de oportunidades para quem a utiliza na criação de produtos intuitivos, por base de observação, conhecimento técnico e métricas.

Tecnologias nativas e a inovação disruptiva, na prática

O momento em que uma marca mundialmente popular de câmeras fotográficas, em vez de continuar com a fotografia analógica, optou por adentrar à Era Digital, o mundo da fotografia foi transformado. Isso é tecnologia disruptiva, na prática. Tal exemplo caracteriza os novos tempos.

Na Neobpo, vivemos a eficiência do digital no dia a dia, trazendo o conceito desta transformação para a gestão de processos de negócios (BPM) e soluções digitais, desenvolvendo modelos preditivos, baseados na intenção do contato, otimizando as operações de nossos clientes de forma ágil como o momento pede.

Possuímos soluções para todos os setores de mercado, compreendendo as mudanças e atuando em todo o ciclo de vida dos clientes.

Conheça mais sobre nosso posicionamento e atuação.


Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin